A Proteção dos Protetores Solares

Aproveitando o verão brasileiro e o "endless Summer" do sul da Califórnia, nada mas propício do que falar sobre protetor/bloqueador solar. Protetor solar é sempre uma polêmica e vire mexe a internet disponibiliza listas dos protetores bons, ruins, cheirosos, cancerígenos e por aí vai.

Mas pouco se fala da proteção que eles oferecem, sendo mais específica, do Fator de Proteção Solar, ou FPS. Isso me faz lembrar de quando um amigo chegou todo pomposo pra mim e meu marido falando que tinha comprado um protetor solar fator 100, e que, portanto, estaria protegido 100 porcento dos raios solares (uau!).

(Newport Beach - Inverno 2016)

Antes de entrar no assunto, vamos falar um pouquinho sobre os raios solares e o que eles fazem na nossa pele. Os raios solares são radiação eletromagnética que o sol emite, porém, apenas uma parte dessa radiação consegue penetrar a camada de Ozônio da Terra, e são elas as radiação ultravioleta (280-400 nm), luz visível (400-760 nm) e infravermelha (760 nm-1 mm). Dentre a radiação ultravioleta (UV), uma parte dela chamada UVC é absorvida pela camada de Ozônio, enquanto UVA e UVB conseguem atravessar a barreira e é aí que mora o perigo. A diferença entre esses dois raios UV é que o UVB está mais associado a danos no DNA e a queimaduras solar, enquanto o UVA é o responsável pelo envelhecimento da pele, pois tem capacidade de penetrar mais profundamente.

Outro conceito importante de destacar é o eritema, que é aquela vermelhidão que ocorre após a queimadura solar. O eritema surge como resposta de uma inflamação da pele após a ação dos raios UVB, causando sensibilidade e produzindo calor na região atingida. Isso explica porque, depois de um dia de sol, tudo fica quente. Normalmente, o pico de aparição do eritema é de 6 a 24h após a exposição ao sol, mas peles claras podem apresentar um estado transitório que aparece logo após a exposição. Lembrando que eritema não é só causado pelo sol, mas nesse caso, vamos destacar apenas essa causa.

Agora que definimos os dois conceitos básicos, podemos falar o que afinal é o Fator de Proteção Solar. FPS é definido como a relação das doses de raios UV que são necessárias para induzir eritema na pele com proteção e na pele sem proteção solar. Como o UVB é o responsável pela formação de eritema, o FPS só diz respeito à proteção contra os raios UVB. Portanto, aquele número que encontramos nos protetores solares trata-se apenas da proteção contra os raios UVB.

Como trata-se de um fator, erroneamente pensam que um FPS baixo protege muito pouco, enquanto um FPS alto está protegendo muito mais. Mas, na verdade, apesar do número aumentar absurdamente entre um FPS 15 e um FPS 100, pouco se altera a porcentagem de proteção. Abaixo coloquei o fator de proteção solar e a porcentagem de proteção que eles exercem.

FPS 2 - 50%
FPS 8 - 87,5%
FPS 15 - 94%
FPS 30 - 96%
FPS 50 - 98%
FPS 70 - 98,6%
FPS 100 - 99%

Normalmente, os preços dos protetores solares variam de acordo com o FPS que eles possuem, quanto maior o FPS, maior será o valor. Contudo, a variação da real proteção não corresponde à essa mudança no preço. Então, você não precisa gastar mais dinheiro comprando um fator 70, se o fator 30 já protege 96%. E o mais incrível é que muitos produtos de maquiagem possuem FPS 15, número esse muitas vezes ignorados pelas pessoas por ser tão baixo, mas que na verdade está protegendo 94% da nossa pele, valor bem próximo do fator 30 (96%).

Mas e o UVA? Antigamente achavam que o UVA era de boaça para a nossa pele, e que causava bem menos danos que o UVB. Porém, hoje em dia sabemos que o UVA também pode causar danos no DNA, só que de uma maneira indireta, e assim contribuir para o aparecimento de câncer de pele. Também precisamos nos proteger dele, e para isso, devemos utilizar produtos que contém agentes específicos para bloqueá-lo. A maioria dos produtos encontrados no mercado protegem também contra os raios UVA, porém, é difícil determinar o quanto de proteção que cada um oferece. Os princípios ativos normalmente utilizados são óxido de zinco, avobenzona e benzofenonas.

(Summer já garantiu a sua proteção)

Vale lembrar que proteção solar é necessária mesmo em tempo nublado, pois as nuvens não bloqueiam os raios UV. A água, areia e coisas brancas refletem os raios UV e podem aumentar a radiação em até 25%, sendo a neve ainda mais refletiva.

Protetores e bloqueadores solares ajudam muito na proteção contra os raios UV, mas evitar a exposição direta ao sol ainda é a melhor forma de prevenir os efeitos nocivos. Utilize chapéu e guarda-sol que bloqueiam os raios UV quando estiver na praia. Lembre-se de reaplicar o protetor solar assim como descrito na embalagem. Se você suar ou entrar na água, reaplique com mais frequência. E para finalizar, um fator de proteção 100 não está te protegendo 100% contra os raios UV, existindo pouca diferença entre ele e um fator 30.

Bom, espero que tenha ficado esclarecido o que é FPS. Caso tenham alguma dúvida ou sugestão, deixem aqui nos comentários.


Cheers!

Camila
Previous
Next Post »

2 comentários

Write comentários
terça-feira, maio 23, 2017 delete

Camila, muito esclarecedora sua postagem!!! :D Mas queria muito saber qual fonte vc usou para achar esses dados. eu já vi escreverem sobre isso mas não achei nada em sites oficiais :/ se vc puder me mandar um link que vc usou ou alguma referência ficarei muito agradecida xDDD

Reply
avatar
sábado, junho 24, 2017 delete

Olá, Luana.
Infelizmente não me lembro de todas as fontes que usei para elaborar esse post. Lembro que consultei artigos científicos, livros e, principalmente, minhas anotações da aula de cosmetologia da faculdade.
Caso você esteja interessada em saber mais sobre o assunto, sugiro essa leitura:
Sunscreen Formulation: Optimizing Efficacy of UVB and UVA Protection
https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-319-29382-0_15

Reply
avatar